sexta-feira, 9 de abril de 2010

Visceral

Sonhei que estava nua,  que a brisa corria forte em minhas veias, e o sol se abria em minhas entranhas. O buraco negro desabrochava no meu ventre, e meu coração sugava tudo em vácuo frio e gelado. 

Sobravam pássaros, plumas e gelo seco.

 

(Ahhhhhhhhhhhhh, como é bom voar!)