sexta-feira, 28 de setembro de 2012

Para Eduardo


Lá no topo e no planalto
Onde não tem dor, nem a dor de não ter dor
Você me explica
O que cada pincelada significa

Aqui é ata e desata
Tem cicatriz e ferida aberta
Você sabe
A que cada traço cabe

Utopia é um sonho de um lugar
Que não existe enquanto não chego
Quem é o dono do endereço?
Esse Pintor que desconheço.

(Você sabe, é preciso)